45 ANOS DOS CURSOS DE JORNALISMO E PUBLICIDADE E PROPAGANDA

Desde 1972 formando comunicadores, o FIAM-FAAM – Centro Universitário tem memórias e muito o que comemorar

IMG_2966
Fachada atual do campus de comunicação do FIAM-FAAM

Edilaine Felix
(texto original Revista Dumela) *

Há mais de quatro décadas, em 1968, o FIAM-FAAM surgia na cidade de São Paulo. Em 18 de março de 1969, a mantenedora das Faculdades Integradas Alcântara Machado (FIAM) incorporou a Associação Paulistana de Educação e Cultura, primeira mantenedora da Faculdade de Artes Alcântara Machado (FAAM).

Em 1972, o FIAM passa a oferecer os cursos de Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo e de Publicidade e Propaganda, dando início a uma trajetória de sucesso no campus Jabaquara e posteriormente para a sede atual, no Morumbi. Em 2002, o FIAM-FAAM é credenciada como Centro Universitário. Hoje, os cursos somam 2.990 alunos – 1.220 de jornalismo e 1.770 de Publicidade e Propaganda -, e 80 professores.  E nesses 45 anos são muitas as histórias de pessoas que passaram pelos cursos, formando e sendo formados.

Na escola de comunicação desde 1975, a professora do curso de jornalismo, Ana Tereza Pinto de Oliveira, faz parte desta história. Ministrando aulas de Laboratório de Redação para alunos de jornalismo de 1983, ela não consegue contabilizar quantos alunos formou. Formação que ela não acredita ser responsável: “eu não vou dizer que eu formei, pela minha mão passou… Eu nunca pensei nisso, mas seguramente uns 5 mil, 6 mil talvez. É muita gente”, diz a sorridente e mais lembrada professora da casa.

 

FOTO ANA TEREZA
Professora Ana Tereza

Outro ar

Para a reitora do Complexo Educacional FMU|FIAM-FAAM Sara Pedrini a comunicação respira um outro ar. “É uma informalidade que se organiza, alunos que aceitam as diferenças”, diz Sara que destaca os processos adotados pela instituição para valorização doe alunos e professores: “tendências, atualidades e uma matriz mais interdisciplinar que dê conta de competências que o profissional de comunicação precisa ter”.

A diretora da escola de Educação, Comunicação, Artes e Design, Simone Espinosa, concorda e salienta a criticidades dos alunos de jornalismo e publicidade. “A comunicação do FIAM-FAAM teve um auge, sempre foi extremamente reconhecida, sempre com excelentes profissionais, uma referência em São Paulo na formação de profissionais da comunicação e hoje vejo a escola florescendo novamente.”

simone
Diretora da escola de Educação, Comunicação, Artes e Design, Simone Espinosa

A área de comunicação se transforma muito rapidamente, com novas tecnologias e nova abordagem para transmitir a informação. “É uma necessidade dos profissionais da instituição e de quem faz a gestão dos cursos, dos professores, de estarmos muito atentos às mudanças e rapidamente levarmos isso para a sala de aula. Isso é superimportante, professores atualizados, vinculados ao mercado, estudiosos das mudanças, que acompanham as tendências e conseguem levar isso para a sala de aula, é isso que faz a diferença nos cursos de Jornalismo e Publicidade do FIAM-FAAM”, diz Sara.

FOTO 1 ANTIGA FIAM FAAM
Campus Morumbi FIAM-FAAM nos anos 1970 (crédito: acervo a instituição)

De acordo com Simone, é preciso ter um olhar cuidadoso para a matriz curricular desses cursos, para que desde o primeiro semestre o aluno consiga enxergar que o curso está muito próximo ao mercado de trabalho.

Mercado de trabalho

Para o coordenador do curso de Jornalismo do FIAM-FAAM, Vicente Darde, esses 45 anos demonstram que antes de mais nada essa instituição forma bons profissionais para o mercado de trabalho. E, segundo ele quando falamos em bons profissionais, não estamos apenas falando daqueles com competências e habilidades para o mercado, com todas as técnicas, mas sim profissionais que tenham senso critico e ético que é preponderante para o mercado jornalístico.

De acordo com Vicente, o curso de jornalismo sempre pensou na formação do aluno, alinhados ao mercado e também em cumprir com as diretrizes curriculares – documento que baliza o ensino de jornalismo no Brasil -, que traz necessidades indispensáveis para a nova formação.

Memória Identidade e Ofício
Vicente Darde, coordenador do curso de jornalismo

“Pesquisa da rede Laureate mostra que a cada 10 alunos, sete estão empregados em sua área de atuação. Esse dado é relevante para termos um retorno do trabalho feito, principalmente quando os egressos contam a credibilidade do FIAMFAAM para o mercado e isso demonstra que estamos no caminho certo, fazendo um bom trabalho nos últimos 45 anos.”

MAIS REPORTAGENS SOBRE OS 45 ANOS DOS CURSOS DE JORNALISMO E PUBLICIDADE E PROPAGANDA PODEM SER CONFERIDOS NO LINK:  https://aicomfiam.net/category/noticias-eventos/

 

* O texto na íntegra poderá ser conferido no primeiro número da Revista Dumela – revista do Núcleo de Estudos Étnicos-Raciais (Nera) em fevereiro de 2018