DICA DE LEITURA: COVA 312

Por Marianna Fortunato [1]

Carla Tôzo [2]

Se você é estudante de jornalismo ou tem interesse pela área com certeza Daniela Arbex está na sua lista de futuras leituras.

Cova 312 foi lançado em 2015 e logo após relançando pela editora Intrínseca. O livro foca na história do guerrilheiro na época da ditadura Milton Soares que foi preso em 1967, com 26 anos e foi dado como desaparecido onde sua família nunca teve notícias do paradeiro de seu corpo.

Daniele Arbex chegou neste caso através do seu trabalho em 2002 no jornal Tribuna de Minas. Sua investigação, como sempre, foi profunda e a principal queixa dela é como as pessoas deixaram passar um período tão cruel como foi a ditadura, sem buscar uma verdade e os responsáveis por isso.

O livro é um exemplo de jornalismo investigativo muito bem feito, com um jeito próprio de escrever a autora conta o caso com o máximo de detalhes possíveis e é focada na busca de resultado nas suas pesquisas.

Ela não só trouxe a história de Milton, como também descobriu o paradeiro de seu corpo. A obra traz também uma denúncia das torturas que os guerrilheiros presos passaram durante anos na Penitenciaria de Linhares em Juiz de Fora- MG.

Um pouco mais sobre a autora:

Daniela Arbex, 46 anos, é autora do best-seller Holocausto brasileiro, eleito Melhor Livro-Reportagem do Ano pela Associação Paulista de Críticos de Arte (2013) e segundo melhor Livro-Reportagem no prêmio Jabuti (2014). Com mais de 300 mil exemplares vendidos no Brasil e em Portugal, a obra ganhou as telas da TV, em 2016, no documentário produzido com exclusividade para a HBO. Em 2015, lançou Cova 312, vencedor do Prêmio Jabuti na categoria livro-reportagem (2016). A obra aborda a ditadura de uma forma que a história oficial nunca fez. Recentemente, a escritora lançou Todo dia a mesma noite, livro que narra a história não contada da boate Kiss. Uma das jornalistas mais premiadas de sua geração, Daniela tem mais de 20 prêmios nacionais e internacionais no currículo, entre eles três prêmios Esso, o americano Knight International Journalism Award (2010), o prêmio IPYS de Melhor Investigação Jornalística da América Latina (2009) e o Natali Prize, que ela recebeu na Bélgica em 2002. Foi repórter especial do Jornal Tribuna de Minas por 23 anos. Atualmente dedica-se à literatura.

DICA EXTRA:  Para conhecer todos os trabalhos da autora e ter acesso a venda de livro acesse o site próprio da Daniela

http://danielaarbex.com.br/

[1] Aluna do oitavo semestre do curso de Jornalismo. Estagiária da Agência Integrada de Comunicação (AICom).

[2] Professora do curso de Jornalismo. Atua na Agência Integrada de Comunicação (AICom).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s