Resenha: “Eternamente Michael- biografia em mangá”

Texto e fotos Tarcísio Alves [1]

Carla Tôzo [2]

 

O maior astro pop, dançarino e superstar de todos os tempos, apesar das inúmeras conquistas – recordes imbatíveis até hoje, dez anos após seu falecimento – sofreu com uma infância e uma adolescência conturbada, graças aos abusos físicos e morais cometidos pelo seu pai Joe Jackson.

foto 1
Michael Jackson sendo rigidamente disciplinado pelo pai, Joe Jackson.

Essa e outras peculiaridades da vida do maior gênio da música são contadas de forma bem detalhada, divertida e emocionante, ao estilo de uma arte oriental bastante apreciada no Brasil: o mangá.

foto 2
Michael Jackson e o compositor  Quincy Jones na produção do aclamado Thriller.

Conhecer cada vez mais a personalidade e a trajetória de um ídolo é sem dúvidas muito importante para quem deseja estar mais próximo e íntimo a ele. E o livro Eternamente Michael-Biografia em Mangá  (lançado em 2010, um ano após a morte do cantor) traz um pouco da trajetória de Michael Jackson (1958 -2009) desde os tempos de Jackson 5 – e a cobrança, o estrelato precoce, composição de algumas das principais canções, etc.

Como já citado, a obra conta em detalhes um pouco do que o artista passou na juventude, mas também se aprofunda nos bastidores de seus históricos, bem-sucedidos e revolucionários álbuns lançados, como Off The Wall, de 1979 (até então mais vendido por um artista negro) e Thriller, de 1982, que até hoje ostenta o título de disco mais vendido (são mais de cem milhões de cópias) de todos os tempos, pelo Guiness Book.

O perfeccionismo, a ousadia e a dedicação de Jackson na criação desses álbuns – duas joias raras – é outro ponto bastante lembrado no mangá.

 

 

Lendo Eternamente Michael podemos ainda testemunhar alguns momentos marcantes que Jackson teve ao lado de outros artistas. Tais como, o encontro com Paul McCartney, eterno baixista dos Beatles, com quem o Rei do Pop trabalhou em duas canções: The Girl is Mine (faixa que abre o disco Thriller) e Say Say Say (1983). McCartney ainda escreveu Girlfriend, um dos maiores sucessos de Off The Wall, para Michael.

Steven Spielberg, um dos maiores cineastas da história do cinema, diretor de obras como Jurassic Park (1993) e Tubarão (1975) é outra figura importante a aparecer no mangá, pois o Rei do Pop compôs e cantou a trilha sonora de uma das aventuras mais encantadoras de todos os tempos: E.T – o Extraterrestre  (1982).

foto 3
Michael, Spielberg e o personagem E.T.

Outro momento marcante da carreira do astro-pop que vale a pena ser lembrado é a ligação que recebeu do ator e dançarino da Broadway, Fred Astaire – seu maior ídolo e inspiração – exatamente um dia depois do cantor dar pela primeira vez, em um concerto que celebrava os 25 anos da Motown – gravadora onde ele e seus irmãos iniciaram sua trajetória – ao som de Billie Jean, “um pequeno passo para o homem, um enorme passo para a humanidade”: ou seja, seu fenomenal e histórico “Moonwalk” – que até hoje muitos tentam imitar, mas nunca conseguem; pelo menos não como o próprio criador fazia…

foto4
Billie Jean is not my lover…

O livro vem ainda com poemas escritos por Michael ao longo da vida, e ao final, letras de algumas de suas principais canções: Thriller, Don’t Stop Till Get Enough, Got to be There, Ben, dentre outras relíquias.

Produção e continuação de “Eternamente Michael”

  A biografia em mangá do astro-pop Michael Jackson foi roteirizada pelos fãs Ledo Vieira e Joice Castilho. Os desenhos ficaram por conta de Rafael Kirschner e Fábio Shin, da Japan Sunset – Escola de Mangá, localizada no bairro da Liberdade, tradicionalmente conhecido por conta da imigração japonesa que ali predomina.

Infelizmente, a história termina bem quando o Rei está em uma consulta com o  Dr.Arnold Klein (dermatologista) recebendo o diagnóstico de Vitiligo; doença que despigmenta a pele, e que viria a causar furor na mídia por conta da notável mudança na aparência do astro. Como em qualquer outro mangá, o protagonista escuta a má notícia, fica pasmo e logo após a ilustração, aparece um “continua…”

foto5
Diagnóstico de Vitiligo, doença responsável pelo “branqueamento” na pele do artista.

Para a tristeza de muitos fãs – inclusive a dos próprios criadores – não foi possível produzir uma continuação para Eternamente Michael, devido a questões autorais (de acordo com o desenhista Fábio Shin).

Mesmo não tendo um sucessor, o volume 1 da biografia em mangá de Michael Jackson é uma boa para qualquer um que queira saber mais sobre sua conturbada juventude e  tudo de magnífico que ele criou no que pode ter sido o auge de sua histórica carreira.

(Eternamente Michael – Biografia em Mangá; Seoman/ Fábio Shin, Rafael Kirschner  e Ledo Vieira; 2010 – São Paulo)

[1] Aluno do oitavo semestre do curso de Jornalismo. Monitor da Agência Integrada de Comunicação (AICom).

[2] Professora do curso de Jornalismo. Atua na Agência Integrada de Comunicação (AICom).

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s