Ex-aluna conversa com estudantes sobre “o dever de informar e o direito de saber”

Encontro ocorreu com alunos dos cursos de jornalismo e relações públicas

Por Giovana Gomes [1]

Edilaine Felix [2]

Na noite de 29 de maio, a sócia-diretora da Atelier de Imagem e Comunicação, Teresa Cristina Miranda, esteve no Campus Ana Rosa para conversar com alunos sobre os desafios do jornalismo e da assessoria de comunicação nos setores públicos e privado. Teresa é formada em jornalismo no FIAMFAAM e possui uma carreira de mais de 40 anos de experiência, atuando, principalmente, com órgãos públicos.

Com o tema “O dever de informar e o direito de saber”, a palestra abordou as principais funções e os desafios de uma agência de comunicação. “Na crise é preciso criar”, ressalta ela sobre as adversidades desse setor e do momento difícil pelo qual passa o país.  Foram discutidos também assuntos como estratégias de comunicação, a diferença entre clientes públicos e privados, comunicação pública e gestão de crise.

‘É preciso conhecer a mídia para distribuir conteúdo corretamente. Com as redes sociais, a imprensa tem de se reinventar”, diz Teresa que também expôs seus principais desafios durante os 7 anos em que trabalhou na área de comunicação da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo. A palestrante apresentou alguns cases no qual atuou como assessora, como o caso Eloá, ocorrido em 2008 e o acidente aéreo da TAM, de 2007.Ela destacou os pontos relevantes de cada caso e como atuou como assessora de comunicação de uma entidade pública.

Responsabilidade

Questionada sobre as principais mudanças no jornalismo durante seus 40 anos de carreira, Teresa destaca que o momento agora é de ” extrema responsabilidade”. A facilidade com que podemos acessar e editar qualquer conteúdo traz um certo despreparo. “As ferramentas, hoje, disponíveis são muito rápidas e essa rapidez dificulta a apuração dos fatos. A imprensa dá a informação e depois corrige, é digital.”

Além disso, ela ressalta a importância dos jovens jornalistas e estudantes nesse consumo precipitado de informações. “É preciso muita responsabilidade porque uma informação mal dada ou uma notícia errada, destrói vidas, reputação, marcas, destrói ideias. ”

Teresa também apresentou aos alunos algumas dicas para ter êxito no mercado da comunicação, sobretudo, com as mudanças decorrentes do avanço tecnológico. As fake news chegaram para “desvirtuar o rumo das coisas, ela desvia de forma maléfica, é tudo armado”, diz.

 

[1] Aluna do primeiro semestre do curso de Jornalismo.

[2] Professora do curso de Jornalismo. Atua na Agência Integrada de Comunicação (AICom).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s