Visite o Museu de Arte Contemporânea

MAC conta com obras de Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Picasso, dentre outros

Por Tarcísio Alves  [1]

Carla Tôzo [2]

O Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC/USP) está localizado bem em frente ao Parque do Ibirapuera, na Avenida Pedro Álvares Cabral. Pertinho de outros museus como o MAM (Museu de Arte Moderna), o Museu Afro Brasil, ao Ginásio e à Bienal do Ibirapuera.  O MAC conta com obras de artistas como Pablo Picasso, Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Di Cavalcanti, dentre outros.

São mais de 10 mil obras expostas no MAC. Dentre elas pinturas, gravuras, esculturas, fotografias e instalações. “O MAC é um lugar muito tranquilo, e bom para que recarreguemos as energias. O equipamento cultural do museu é rico, e pra uma cidade como São Paulo, isso é bom para que saiamos um pouco da rotina dessa cidade grande.”, explica a publicitária Laís Achutti, que já visitou o Museu de Arte contemporânea quatro vezes.

O MAC foi fundado em 1963 na Cidade Universitária, e desde 2012 ocupa o prédio do antigo DETRAN, no Ibirapuera. O acervo do MAC começou a se montar graças a doações feitas pelo influente casal de colecionadores de obras de arte, Ciccilio Matarazzo e Yolanda Penteado, que também ajudou na criação da Bienal e do MAM.

O prédio onde atualmente está inserido o MAC foi projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, na década de 1950, junto com outras mega construções ao redor do parque. O oitavo andar do prédio do MAC oferece uma vista panorâmica da cidade de São Paulo, de onde é possível ver todo o complexo arquitetônico desenhado por Niemeyer: “Temos acesso a toda a obra do Niemeyer de cima do prédio. Para quem gosta de arquitetura, isso é ótimo”, diz Laís.

Foto Tarcísio Alves: Cidade de São Paulo vista de cima do oitavo andar do prédio do MAC

Um dos destaques do Museu de Arte Contemporânea é a obra de Nina Pandolfo, “Amor Sem Igual” (2014). Trata-se do “cartão-postal” do MAC, segundo Rodrigo Vieira, monitor do Museu. “O gato fica logo na entrada do museu e funciona como um convite para que as pessoas entrem e se sintam a vontade, pois elas vêm do parque do Ibirapuera e já se deparam com ele”.

A artista Nina Pandolfo adora gatos e cria vários deles e na obra “Amor Sem Igual” Nina fez como homenagem a um felino com quem viveu durante anos. De acordo com Rodrigo, esta é uma das poucas obras do acervo que podem ser tocadas pelos visitantes, e por isso já aconteceu de ela ser danificada. “Por conta de todo o manuseio, a obra já ficou meio quebrada. Mas ela frequentemente está sendo restaurada”.

Foto Tarcísio Alves: O Gato de “Amor Sem Igual”, uma das obras mais conhecidas do MAC

“Amor Sem Igual” e outras atrações estão disponíveis no MAC, aberto de terça a sexta das 10 da manhã às nove da noite. A entrada é gratuita.

Para mais informações acesse: www.mac.usp.br

[1] Aluno do sétimo semestre do curso de Jornalismo e estagiário da Agência Integrada de Comunicação (AICom).

[2] Professora do curso de Jornalismo. Atua na Agência Integrada de Comunicação (AICom).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s