A Missão do Jornalismo na Era do WhatsApp

 

Texto:  Verônica Andrade e Tarcisio Alves da Silva [1]

Fotos: Ana Andreoni [2]

Reportagem e produção em vídeo: Letícia Ferrero e Felipe Aranda [3]

Carla Tôzo [4]

 

Na mesa da noite desta terça feira (02/04) da terceira Semana de jornalismo do FIAM-FAAM Centro Universitário foram discutidos temas como o rumo dos novos jornalistas na era da tecnologia e como a ferramenta Whatsapp pode implicar positivamente ou negativamente no futuro destes profissionais. Os convidados foram: Cido Tavares (da Rádio USP), Graciliano Rocha (editor-chefe da BuzzFeed no Brasil), Luiz Fernando Menezes (repórter do Aos Fatos), Marcos Rosendo (Rede Record), Ricardo Nonato (assessor do Tribunal de Justiça SP) e Sérgio Santos, professor da Universidade Metodista de São Paulo. Ao longo do debate, os convidados discorreram sobre como a ferramenta Whatsapp modificou e modifica as relações do jornalismo.

O editor chefe da Buzz Feed News no Brasil, Graciliano Rocha, disse que “o Whattsapp é uma rede social extremamente popular no Brasil. É um veículo de disseminação de todos os tipos de informações, desde mensagens pessoais, memes, notícias e informações que podem não serem verídicas”.

Graciliano Rocha

Já Luiz Fernando do Aos Fatos falou um pouco sobre a importância do debate sobre o jornalismo no Whatssapp: “Não tem como pensar em divulgação de notícias sem pensar em Facebook, Whatssapp e Twitter. Não tem como você se fechar na bolha do seu site e querer que as pessoas leiam. As pessoas usam o Whatssapp por pelo menos quatro horas por dia no mínimo. As pessoas estão consumindo notícias pelo Whatssapp, recebem notícias em grupos, recebem notícias de amigos, imagens, montagens e etc.. É bom ter alguém para contra-atacar isso tudo, no Whatssap…”.

Luiz Fernando Menezes

Na grande mídia, segundo Marcos Rosendo, o Whatsapp modificou e trouxe para perto o público, mudando assim as rotinas das redações, que acabam recebendo em grande quantidade notícias, principalmente para o cotidiano das pessoas como em casos de desastres naturais e denúncias. “O jornalismo nunca foi tão importante como hoje, por que o jornalismo de credibilidade é quem separara este material e mostra o que é falso e o que não é”, aponta.

Marcos Rosendo

Cido Tavares, da Rádio USP, ressaltou que o que precisa ser dito à nova geração de jornalistas é que não percam a essência da verdade: “Nós jornalistas precisamos transmitir a verdade. Até brincando com a palavra: a verdade verdadeira. Porque hoje em dia, a verdade muitas vezes não é verdade. Então precisamos buscá-la, e transmitir essa informação, para que o jornalista fique tranquilo como profissional, e principalmente, como pessoa”.

Cido Tavares

Ricardo Nonato vê com ânimo a utilização da ferramenta para o acesso à informação, porém faz um alerta: “cabe a nós jornalistas colocarmos em evidência a importância da checagem das notícias”.

Ricardo Nonato

Para o professor universitário Sérgio Santos: “devemos utilizar estas ferramentas como um meio, e não como um fim, pois estamos ganhando rapidez e interação, mas estamos perdendo o In loco (ir ao local), ou o olho a olho que é o que traz a seriedade e a veracidade do jornalismo”.

Sérgio Santos

Barbara Guth, aluna do quarto semestre de jornalismo, veio ao debate e afirmou que: “Trazer profissionais capacitados e atuantes para debater sobre esta nova tecnologia é muito importante para que, desde já, olhemos para ela com um olhar profissional e saibamos a importância de checar as notícias e combater as Fake News”.

Alunos do curso de jornalismo no debate “Jornalismo na era do Whatsapp”

A Semana de Jornalismo continua com mesas até a sexta-feira (05/04) e acontecem no período da manhã (9h as 11h30) e à noite (19h as 21h30).

Confira o vídeo do evento:

 

[1] Alunos do quarto e sétimo semestre do curso de Jornalismo e monitora e estagiário da Agência Integrada de Comunicação (AICom).

[2] Editora de Imagens do Centro Universitário FIAM-FAAM.

[3] Alunos do oitavo e quinto semestre do curso de Jornalismo e estagiária e monitor  da Agência Integrada de Comunicação (AICom).

[4] Professora do curso de Jornalismo. Atua na Agência Integrada de Comunicação (AICom).

*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s