#Curiosidades: Último disco gravado pelos Beatles completa 49 anos

O lançamento de um dos álbuns mais vendidos do grupo completa 49 anos nesta quarta-feira

Por Gabriela Cristina [1]

Edilaine Felix [2]

Em 26 de setembro de 1969, o grupo britânico The Beatles lançava seu décimo segundo álbum – e último a ter sido gravado, já que, Let It Be, lançado em 1970 foi um álbum que juntou músicas que o grupo havia gravado em 1969 para um outro projeto, além de unir também músicas gravadas por George Harrison, Paul McCartney e Ringo Starr.

John Lennon, dias antes do lançamento do Abbey Road, anunciou para os outros integrantes que estava deixando a banda, entretanto o público só ficou sabendo disso depois do lançamento do disco, já que isso foi escondido para que não atrapalhasse as vendas.

Apesar de ter sido gravado num momento em que o clima entre a banda não era bom, Abbey Road ficou conhecido por sucessos como Something e Here Comes the Sun, escritos por George Harrison. Além disso, o disco se tornou um dos álbuns mais vendidos da história. Apenas nos dois primeiros meses após o lançamento, Abbey Road vendeu quatro milhões de cópias e, desde 1969 o total de discos vendidos no mundo inteiro ultrapassa os 30 milhões.

Capa do disco

A lendária capa de Abbey Road é uma das fotos mais copiadas no mundo, principalmente pelo fato de não conter nome da banda ou do álbum. Mas ela também abriu espaço para uma teoria da conspiração muito famosa não apenas entre os beatlemaniacos: “Paul is Dead” ou “Paul está morto”.

Paul McCartney havia escolhido a imagem para a capa do disco e, coincidentemente, se encaixou com a teoria de que ele havia sido morto em 1966, três anos antes do lançamento de Abbey Road, vítima de um acidente de moto. Elementos como o fato de McCartney estar com os olhos fechados na foto são considerados indícios de sua suposta morte.

Outro fato que também foi motivo de especulação foi que, na capa do disco, Paul segura um cigarro com a mão direita, mesmo sendo canhoto. Além disso, Paul está com a perna direita na frente, diferentemente dos outros integrantes.

Outras pistas que também fariam alusão a suposta morte de McCartney seriam as roupas utilizadas na foto, já que, para os que acreditam na lenda, elas fazem referência aos personagens de um funeral: Paul como o cadáver prestes a ser enterrado (de terno e com os pés descalços, lembrando um corpo sendo levado ao caixão), John seria o padre (de branco, barba e cabelos cumpridos, George seria o coveiro (usando jeans e roupas comuns) e Ringo seria o responsável pela cerimônia (de terno preto).

Dois carros presentes na cena da capa de Abbey Road também compõem a teoria da morte de Paul. Um fusca presente no lado esquerdo da foto tem as letras “LMW”, que, de acordo com aqueles que acreditam na morte de Paul, representariam as iniciais de Linda McCartney Widow. Linda McCartney era então a esposa do baixista e a palavra widow traduzida para o português significa viúva.

Título

Originalmente, o título do disco seria Everest, como uma referencia ao esforço necessário para escalar uma montanha ou subir na vida. Além disso, esse também era o nome da marca de cigarros usada pelo engenheiro de som da banda, Geoff Emerick. Com as dificuldades de viajar para fotografar a capa do disco, o grupo então resolveu tirar a foto na rua Abbey Road e dar esse nome ao álbum.

Gravações e músicas

Abbey Road foi gravado no Trident Studios. As gravações tiveram início em 22 de fevereiro de 1969 e acabaram em julho/agosto do mesmo ano. George Martin, responsável por produzir todos os discos dos Beatles até então, precisou ser convencido para trabalhar no projeto, já que as gravações dos álbuns The Beatles (conhecido também como White Album) e de Let It Be haviam sido bastante tensas.

A primeira música a ser gravada foi I Want You (She’s so Heavy) com a participação de Billy Preston. Essa foi a maior música do álbum, com 7 minutos e 47 segundos. Já a última a ter sido gravada para o álbum foi Because, também última gravação dos quatro Beatles juntos.

Something foi considerada a melhor música do álbum. George Harrison, que nunca teve tanto espaço quando Lennon e McCartney para colocar suas composições nos álbuns dos Beatles, teve sua música considerada por todos os integrantes e pelo produtor George Martin como a melhor do disco.

O título de pior música do álbum ficou para Maxwell’s Silver Hammer. Paul foi o único a gostar da faixa, enquanto Ringo considera essa a pior música já gravada pelos Beatles.

 

[1] Aluna do quarto semestre de Jornalismo e estagiária da Agência Integrada de Comunicação (AICom)

[2] Professora do curso de Jornalismo. Atua na Agência Integrada de Comunicação (AICom).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s