Política e conceitos de humanização são debatidos com alunos da escola de comunicação

O Núcleo de Estudos Étnico-Raciais (NERA) promoveu uma discussão com alunos e convidados sobre política no FIAM-FAAM – Centro Universitário

Felipe Aranda (1)

Edilaine Felix (2)

 

O auditório do campus Ana Rosa recebeu na última quarta-feira, 22/08, a filósofa e psicanalista Viviane Mosé e a economista Eduarda La Rocque, para uma palestra sobre política e como uma sociedade em rede tem maior potencial de ativismo quando há diálogo e compreensão entre os cidadãos.

Organizado pela professora e coordenadora do NERA, Maria Lucia da Silva, com apoio da professora Carla Tôzo e mediado pelo coordenador do curso de Rádio e TV, Fernando Leme, a mesa discutiu como a sociedade intervém na gestão da cidadania, como o uso inadequado da rede de pessoas – nome dado para a relação entre o contato e a troca de informação de um indivíduo com pessoas do seu convívio e dessas pessoas com outras  – e das redes sociais, ferramentas dominadas pela nova geração que está insatisfeita com a situação política-econômica do país, mas que não sabe atuar nela de forma eficiente. Mas então, como devemos atuar?

De acordo com as palestrantes, uma das formas de intervenção na gestão pública é reunir as oposições políticas e entender que mesmo com as diferenças religiosas, raciais, de gênero e sexualidade, sempre vai existir algo em comum entre todos nós: a humanidade. É aí que a mudança começa.

Clareza nas ações

A transparência na prestação das contas públicas também foi pauta, pois a população precisa saber quanto, onde e como os nossos representantes gastam o dinheiro público. Eduarda sugere a criação de um órgão externo dos governos para controlar a qualidade do gasto público. “Uma entidade da sociedade civil que possa fiscalizar com mais eficiência do que o Ministério Público, as atividades do governo”, explica.

A filósofa e psicanalista Viviane Mosé e a economista Eduarda La Rocque (acima). Viviane Mosé, Fernando Leme e Eduarda La Roque (abaixo), ao lado, livro das palestrantes. (Crédito: Carla Tôzo)

A palestra contou com a participação dos alunos e professores dos diversos cursos de comunicação do FIAM-FAAM que interagiram com perguntas e comentários sobre os assuntos abordados. O evento também promoveu o recém-lançado livro “Política – Nós Também (não) Sabemos Fazer”, uma produção das palestrantes em conjunto com Clóvis de Barros Filho e Oswaldo Giacoia Jr., a convite da Editora Vozes Nobilis.

Eduarda conta que, como economista, foi difícil escrever partes do livro, pois precisou suavizar questões técnicas e assuntos mais complexos como a governança da cidadania, para um nível que fosse entendível por qualquer público. Esse é objetivo da obra, refletir sobre a política de forma clara, objetiva e sem partidarismo. “O livro quer fazer política, quer nos ajudar nessa questão, então o abismo entre o conhecimento altamente elaborado e a linguagem simples é a grande questão nossa, do Brasil e do mundo”, complementa Viviane.

O encerramento ficou por conta da coordenadora do NERA, Maria Lucia, que durante os agradecimentos discursou sobre a importância da existência de ambientes e pessoas, como o que ocorre no FIAM-FAAM, que permite a discussão de assuntos libertários, possibilitando o exercício do pensamento.

Confira o vídeo do evento:

[1] Aluno do quarto semestre de Jornalismo

[2] Professora do curso de Jornalismo. Atua na Agência Integrada de Comunicação (AICom).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s