Cursos de extensão são grandes aliados na busca por sucesso profissional

O mercado de trabalho promove mudanças e os profissionais devem acompanhar esse processo

Ana Luiza Antunes [1]

Edilaine Felix [2]

Se o seu objetivo é se tornar um grande profissional, estar atualizado e se destacar no ambiente de trabalho, realizar um curso de extensão não só irá ampliar o seu currículo como também fará com que você tenha novas perspectivas sobre sua área de atuação e possa desenvolver habilidades que são exigências no mercado de trabalho.

De acordo com Cristiane Sambugaro, coaching de carreira e professora de Relações Públicas do FIAM-FAAM, os cursos de extensão são uma ótima maneira de mostrar que o estudante está preocupado em se atualizar sobre sua área.

“Os cursos de extensão mostram as tendências de mercado e qual sua visão do estudante a respeito do assunto. Para quem vai receber o currículo, os cursos de extensão significam a mobilidade do estudante, ou seja, a primeira coisa que os recrutadores observam ao selecionar um candidato é a maneira como ele está se atualizando”, afirma.

Para os profissionais que já possuem algum tipo de experiência na área, Lucas Oggiam, gerente sênior da Page Personnel, do grupo PageGroup Brasil, diz que os cursos de extensão são muito bem recebidos pelo mercado. Para auxiliar o universitário em sua escolha, ele afirma que é preciso saber o que quer. “O curso de extensão é melhor aproveitado quando você sabe exatamente o que quer naquele momento de carreira. Caso você ainda esteja em dúvida, procure ajuda de algum tipo de mentor para auxiliá-lo na decisão”, aconselha.

Por sua vez, Cristiane diz que o estudante precisa realizar uma autoanálise. “Os cursos de extensão são um direcionamento para a carreira. O estudante precisa refletir no que quer focar para sua profissão. Por exemplo, se o aluno quer direcionar sua carreira para a área de criação, ele precisa mostrar em seu currículo que está trabalhando para atingir seu objetivo.”

Tenha um foco

O mercado de trabalho está constantemente promovendo mudanças e os profissionais devem estar atentos e acompanhar esse processo. Oggiam e Cristiane afirmam que a escolha varia de acordo com o objetivo do universitário e segundo eles, o estudante deve escolher os cursos com base nas dificuldades ou nas demandas do mercado

“Depende muito do objetivo que ele possui com o curso. Caso seja desenvolvimento pessoal, foque em algo que você tenha curiosidade ou dificuldade. Caso seja para enriquecer seu currículo e aumentar suas possibilidades no mercado de trabalho, busque algo direcionado a atividade que deseja realizar (seja ela nova, ou atual)”, diz Oggiam.

people-2557396_1920 (1)
Jovens devem avaliar o investimento e o retorno do curso (Crédito: Pixabay)

“O estudante precisa pensar o que ele quer para a vida profissional dele. Por exemplo, se um estudante de jornalismo quer ser assessor de imprensa e um estudante de relações públicas quer seguir na área de gestão de crise, eles precisam procurar cursos que tenham esse enfoque. É importante que o aluno tenha uma visão do lugar que ele quer trabalhar e inclusive da área que ele mais gosta dentro da faculdade, na qual se sinta mais à vontade”, complementa Cristiane.

Em relação ao que o universitário precisa ter em mente ao escolher o curso e o que fazer caso ainda esteja em dúvida, Cristiane aconselha: “É preciso ter certeza de que área deseja seguir em sua carreira.” Já Lucas alerta: “Todo curso extra gera um custo extra. Portanto, tenha certeza de que o investimento é algo que fará sentido e trará algum tipo de retorno para você ou sua carreira.”

Para Oggiam, antes de decidir é importante saber o que realmente quer aprender ou desenvolver e buscar alguém com mais experiência que você para guiá-lo nesse processo de decisão. “Clareza sobre seu futuro profissional ou pessoal é determinante e a melhor ferramenta para esse tipo de decisão é a opinião de uma pessoa com mais experiência, e preferencialmente com algum conhecimento no mercado que você deseja atuar”, diz.

“O estudante precisa realizar um autoconhecimento. Se for difícil sozinho, procure ajuda de um coaching. Ele pode ajudar de maneira mais pontual”, completa Cristiane.

 

[1] Ana Luiza Soares é aluna do terceiro semestre de Jornalismo e estagiária da Agência Integrada de Comunicação (AICom)

[2] Professora do curso de Jornalismo. Atua na Agência Integrada de Comunicação (AICom).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s