Artes e música dão o tom das reflexões na semana da Consciência Negra

O NERA organizou dois dias com palestra e expressões artísticas no campus Liberdade 

Por Heloise Pires [1]

Edilaine Felix [2]

“Consciência Negra Artes Visuais e Música”. Este foi o tema dos dois dias de evento promovido pelo o Núcleo de Estudos Étnico-Raciais (NERA) do FIAM-FAAM – Centro Universitário para debater e refletir o Dia da Consciência Negra, em 20 de novembro.

A professora e coordenadora do NERA, Maria Lúcia da Silva conta que o evento tem o intuito de conscientizar e de levar música para os participantes. “ Na semana da Consciência Negra teremos palestras e apresentações sobre música negra”, informa.

Para o artista plástico e professor, Luciano Martins, a questão do negro é algo que tem que ser discutido. Segundo ele, a arte não é algo que para “ser bonito e sim um meio para contra-argumentar o senso comum.”

“Eu, como pessoa negra, vejo com dificuldade a representatividade do negro dentro de várias áreas e esse evento é importante para isso, mostrar a nossa história e que também estamos presentes em diferentes áreas no mercado de trabalho”, diz a aluna de Secretariado, Nadine Araújo.

Música

O universo do hip hop foi o tema apresentado Maria Aparecida Costa, que falou sobre os primeiros movimentos da música, os cantores de destaque no Brasil e seus elementos artísticos e identitários.

A jornalista Claudia Alexandre trouxe para a roda de discussão as mulheres no samba. “A relação da escola de samba com a religião sustenta a identidade negra. A Vai-Vai é a escola mais negra de São Paulo”, conta Claudia sobre a força do feminino constituição do samba e das escolas de samba.

palestrantes
Marcelo Gabay (em pé), Claudia Alexandre e Cida Costa (sentadas)

Já o professor do FIAM-FAAM, Marcelo Gabay fala sobre processo de embranquecimento da sociedade que passa pela dança, pelo carimbó. “Temos uma série de histórias na música que mostra esse embranquecimento.”

Para encerrar as discussões da Semana da Consciência Negra o grupo de Samba do Tripinha fez uma roda de samba no auditório Nelson Carneiro, no campus da Liberdade.

 

[1] Aluna do segundo semestre de Jornalismo e monitora da Agência Integrada de Comunicação (AICom).

[2] Professora de Jornalismo do FIAM-FAAM Centro Universitário. Atua na Agência Integrada de Comunicação (AICom).

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s