Alunos da Escola de Educação participam do Rally do Conhecimento

O game show deixou estudantes e plateia com os nervos à flor da pele durante todo o evento

Por Samara Menezes [1]

Edilaine Felix [2]

O Rally do Conhecimento da Escola da Educação, que ocorreu no sábado, 28 de outubro, lotou o auditório Nelson Carneiro, no campus Liberdade da FMU|FIAM-FAAM. O objetivo do game show era testar o conhecimento dos alunos dos cursos de Matemática, Pedagogia, Música, Letras, História e Artes Visuais, que mesclaram os times participantes, utilizando perguntas de diferentes matérias.

O evento foi apresentado por Rodrigo Matiskei, com participação de Júlio Moreno, ambos professores e coordenadores da Rádio FIAM-FAAM, que transmitiu o evento ao vivo.

A aluna Flávia Villalba, do 6º semestre do curso de História, que participou do evento no período da manhã, conta que não houve uma preparação dos professores para a competição, já que o conteúdo abordado faz parte da formação progressiva que os alunos tiveram ao longo do curso.

 

No entanto, ela afirmou que a forma como os conhecimentos foram testados foi também um novo jeito de aprender. “Era uma coisa que eu nunca tinha vivenciado, e é uma forma da gente treinar e ao mesmo tempo se aproximar de outros cursos, conhecendo outras pessoas, tem uma interação, acho bem interessante.”

Para a professora doutora do curso de Letras, Siomara Ferrite Pereira Pacheco, os alunos estavam bem engajados no projeto. “No começo eu confesso que não, porque como é no formato novo, nós não tínhamos essa cultura de jogo, de disputa, então eles resistiram bastante, mas depois eles foram entrando no clima”, diz ela, que afirma ter sentido uma mudança na visão dos alunos.

De acordo com a diretora da Escola de Educação, Comunicação, Artes, Design e Moda Simone Maria Espinosa, o rally do conhecimento é uma forma lúdica de aprender.  “O rally não é uma preparação para o Enade, porque se os conteúdos não forem trabalhados ao longo do curso, nesse período pequeno você não consegue fazer nada”.

Para a aluna  Jocarla Oliveira Gomez, aluna do 6º semestre de Artes Visuais que disputou a semifinal, ter esquipes mistas no game show é mais uma forma de aprender. “Até errando a gente aprende. Às vezes temos um conhecimento mínimo de uma determinada área, e o colega de equipe de outra área dá uma segurança e aí vai todo mundo junto.”

Receptividade da plateia surpreende

A Rádio FIAM-FAAM, estava cobrindo o evento e distribuindo brindes para a plateia nos intervalos. O professor Júlio Moreno conta que sentiu uma boa energia do público. “Eles prestam bastante atenção, é uma plateia que interage muito com o apresentador, tem receptividade, você brinca com eles e eles respondem”, afirma.

As músicas animadas tocadas ao longo do programa fizeram o auditório dançar, e a interação do professor Rodrigo Matiskei com a plateia contribuiu para manter a animação durante as 8 horas de evento. O apresentador garantiu o bom humor cantando, pulando e pedindo a todos que levantassem as mãos nos momentos mais tensos do programa, para que o púbico enviasse boas energias aos grupos.

Muitos alunos que não estavam participando dos grupos que competiam, mostraram sua criatividade e envolvimento com o Rally levando cartazes com dicas de matemática. Por exemplo, um deles que dizia “Se 666 é o número da besta, então 25,81 é a raiz de todo mal?”, visto que 25,81 é a raiz quadrada do número 666. Entre as questões apresentadas para os alunos que estavam jogando, Matiskei pedia aos autores dos cartazes subirem no palco para explicar as dicas que eles faziam questão de levantar bem alto cada vez que surgia uma questão matemática.

“Eu acho que tudo que é mais dinâmico você tem uma absorção muito melhor do que aquele negócio que é você sentar e o professor ficar falando, por que você tá no envolvimento e você não perde o foco” diz Flávia Villalba, que mesmo desclassificada logo na primeira rodada no programa, mostrou-se animada para ver o evento até o fim, visto que muitos dos alunos de sua sala ainda estavam participando.

O time a ganhar o Rally do Conhecimento foi o Azul Escuro, composto por Alice Simões de Pedagogia, Victoria Engler, estudante de História, Fernanda R. da Paz de Letras, Fabio Aoki, aluno de Música, Rafael Amaral de Matemática, Marina Kubota, representante do curso de Letras e José Lessa de Matemática, que foi responsável por apertar o botão que desempatou a competição e definiu o seu time como vencedor.

emocao
Equipe vencedora reunida para conferir o replay de quem apertou primeiro o botão

“Foi bem acirrada a nossa última rodada de perguntas, a gente terminou empatado e foi, por milésimos de segundos, foi um desempate com o botão em cima da mesa que foi por pouco que a gente ganhou”, diz Lessa.

 

[1] Aluna do quarto semestre de Jornalismo e monitora da Agência Integrada de Comunicação de Comunicação (AICom).

[2] Professora do curso de Jornalismo. Atua na Agência Integrada de Comunicação de Comunicação (AICom).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s