Debate sobre jornalismo e periferia encerra a 7ª Semana de Comunicação

em

Depois da exibição do documentário Nós, Carolinas, a jornalista Bianca Pedrina conversou com os alunos

Por Laura Yoko[1]

Edição por Mayara Lobato[2]

“Eu tenho muito orgulho do que sou. Não é todo mundo que tem a coragem que eu tive. Criar dois filhos sozinha, estudar e trabalhar. A gente é discriminada, a gente é vista com outros olhos. Você escuta coisas do tipo: seus filhos vão virar bandido.”- Depoimento de uma das personagens do documentário “ Nos, Carolinas”.

Essa é a uma pequena parte da vida de Joana Ferreira Carvalho, 51 anos, mãe de dois filhos e moradora do Parque Santo Antônio. A história dela, e de outras mulheres, são contadas no documentário “Nós, Carolinas”, produzido pelo “Nós, Mulheres da Periferia”, exibido no último dia da 7ª Semana de Comunicação do FIAMFAAM Centro Universitário.

A comunicação normalmente é retratada como algo amplo e que atinge grande parte da massa, mas histórias como a de Joana não são vistas nem ouvidas pela grande mídia. Segundo a jornalista e membro do coletivo “Nós, mulheres da periferia”, Bianca Pedrina, não há espaço na mídia para a periferia – normalmente retratada pela violência. “A gente viu que as mulheres da periferia não estavam sendo mostradas da forma que elas queriam, e nós fizemos um veículo de comunicação para isso. Esse documentário traz um pouquinho do que é a nossa proposta, que é dar visibilidade para essas mulheres e colocá-las no centro do debate de uma maneira sensível, com afeto. Mostrar que o cotidiano delas é importante”, explica Bianca.

Comunicação, exclusão e (in)visibilidade

Se o fazer jornalístico é baseado em apurar, ouvir e retratar histórias, por que ainda existem grupos sociais invisíveis à maioria? De acordo com a professora de comunicação Mayara Lobato, o debate sobre um assunto não pautado nos principais veículos de comunicação é necessário para o aluno repensar a sociedade como um todo e a própria profissão. “Promover esse tipo de debate ajuda a ampliar a consciência do aluno para uma série de questões que são silenciadas e que foram esquecidas ao longo do tempo a partir de todo um trabalho de gestão da memória que foi invisibilizando determinados assuntos e sujeito”, completa a professora.

Para Lívia Assunção, aluna do sexto semestre de jornalismo, a responsabilidade de ser jornalista vai além de apurar e ser comprometer com a veracidade dos fatos. “Acho que esses debates são ótimos pra a gente ver que o jornalismo não é só contar e vender histórias. A gente precisa olhar para as pessoas, e não só para números, bairros, gêneros e outros rótulos que todo mundo põe”, disse Lívia.

Durante o debate, Bianca incentivou os alunos a buscar histórias silenciadas e lutar por elas. “Vocês, que estão estudando Comunicação, devem tentar falar daquilo que não está sendo pautado, ou não está sendo pautado de forma adequada. Não cobrem dos outros, façam por vocês mesmos, como o ‘Nós, Mulheres da Periferia’ faz”, defende a jornalista.

“Eu ganhei meu primeiro bolo de aniversário quando entrei nesse último emprego, há 15 anos. As pessoas me enxergam como pessoa, não me discriminam como foi a vida inteira. Por ser negra, do Nordeste, por ser da periferia e sem diploma. Mas eu não me abalo, eu estou aqui; bela, maravilhosa, trabalhando, estudando. Quando dá, faço trabalho voluntário, ajudo quem precisa” – Joana Ferreira, personagem do documentário “Nós, Carolinas”.

Este não foi o único debate voltado às parcelas não dominantes da sociedade na 7ª Semana de Comunicação. No primeiro dia de evento, o Núcleo de Estudos de Gêneros e Sexualidade do FIAMFAAM Centro Universitário (NUGE) convidou a coletiva Luana Barbosa para discutir questões relacionadas à mulher lésbica.

*Foto da professora Fabiola Tarapanoff.

[1] Aluna do sexto semestre de Jornalismo e monitora da Agência Integrada de Comunicação (AICom).

[2] Professora de Jornalismo do FIAMFAAM Centro Universitário. Atua na Agência Integrada de Comunicação (AICom).

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s